Quem foi Razin?

Razin era um mercador rico que, de passagem por Jerusalém, presenciou os instantes finais da crucificação de Jesus. Impressionado com a serenidade do Redentor naquele momento de martírio, Razin imediatamente sentiu um carinho especial por ele.
Quando o desciam da cruz, uma gota de seu sangue caiu sobre uma folha de trevo. O mercador apanhou-a e guardou-a consigo. A partir de então, procurou saber tudo a respeito daquele homem especial, conversando com seus discípulos e com as pessoas que conviveram com ele.
Razin viajava muito a negócio e, nos lugares por onde passava, não perdia a oportunidade de contar o que havia aprendido com os discípulos. Após seu desencarne, já na Espiritualidade, ele teve contato com o Cristo. O Mestre mostrou-lhe um trevo, que se tornaria o símbolo de seu novo trabalho.
Esse trabalho foi à organização espiritual das Escolas de Aprendizes do Evangelho, hoje sob a responsabilidade de Edgard Armond e a Fraternidade dos Discípulos de Jesus. Os trabalhadores do espaço que acompanham Razin são conhecidos como Fraternidade do Trevo e atuam incessantemente, dando apoio e proteção a todos os encarnados que participam da Fraternidade dos Discípulos de Jesus.
 
Em 1950, as Escolas de Aprendizes do Evangelho (EAE), por intermédio da Federação Espírita do Estado de São Paulo (FEESP), formavam os primeiros discípulos. Nessa época, em que o comandante Edgard Armond era o secretário-geral da Federação, Razin se apresentou mediunicamente ao grupo e convocou-os a se unirem em uma fraternidade, para que não estivessem sozinhos na luta para o Bem.
Edgard Armond

Formou-se assim, pelos primeiros alunos da EAE, a Fraternidade dos Discípulos de Jesus. Partindo dessa organização, a Fraternidade teve desdobramentos em outras casas espíritas, que foram criadas sob inspiração e apoio de Edgard Armond, como a Aliança Espírita Evangélica, a FDJ setor III e mais atualmente, desde 2004, a União Fraternal.

Para fazer parte da FDJ e seus segmentos, o quesito obrigatório é cursar as Escolas de Aprendizes do Evangelho, que promovem o ensino e a vivência da doutrina espírita, objetivando a reforma íntima e a iniciação espiritual nos ensinamentos do Cristo.
Em 17 de maio de 1992, em comemoração aos 40 anos da Fraternidade dos Discípulos de Jesus, os médiuns das casas espíritas afiliadas a FDJ, informaram que Edgard Armond recebeu um trevo dos Emissários de Maria de Nazaré, que o responsabilizou como dirigente da Fraternidade dos discípulos de Jesus na espiritualidade, para liderar os Aprendizes do Evangelho na luta pela concretização do Brasil como Coração do Mundo e Pátria do Evangelho.